01 de Outubro de 2014

Polícia
Enviado por Gustavo Carvalho 8/8/2010 21:58:26

ADA: traficantes comandam São Gonçalo e Niterói da Favela da Rocinha

Da mesma forma que os rivais do Comando Vermelho (CV), traficantes ligados à facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) vêm se utilizando da estratégia de controlarem os negócios que têm em São Gonçalo e Niterói, diretamente do reduto da quadrilha: a Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio.

Agentes da Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae) instauraram inquérito para apurar a conexão criminosa e identificaram os responsáveis pelo envio de armas e drogas para região. Dois deles foram presos nos últimos três meses.

1 - Jonas Souza da Silva, o Jonas do Cavaco ou Pagodeiro, ex-morador do Lindo Parque, preso sob a acusação de ser um dos elos entre os criminosos do Rio e de São Gonçalo;
2 - Alex Moreira Pereira, o Drill, articula o envio de drogas da Favela da Rocinha para comunidades de Niterói;
3 -Jean Carlos Nascimento dos Santos, o Fofinho, ficou à frente do tráfico de drogas no Novo México, após a expulsão dos homens do CV;
4 - Josemar Pereira dos Santos, o JJ, atual chefe das bocas de fumo do Morro do Palácio;
5 - Anderson de Souza Leite, ex-chefe do palácio, foi preso com uma submetralhadora na Ponte Rio-Niterói, em maio, quando retornava da Favela da Rocinha para Niterói

Em maio, Anderson de Souza Leite, o Bozo, 32, então chefe do tráfico de drogas no Morro do Palácio, no Ingá, na Zona Sul de Niterói, foi surpreendido pelos policiais da especializada com uma submetralhadora na Ponte Rio-Niterói. Ele havia acabado de pegar a arma na Rocinha e estava seguindo para a comunidade de Niterói quando foi preso. No lugar do criminoso, quem assumiu o controle das bocas-de-fumo no Morro do Palácio foi Josemar Pereira dos Santos, o JJ, 29, e um comparsa identificado apenas como Mazinho. Natural (ou “cria”, na linguagem do tráfico) de Santa Bárbara, na divisa dos municípios Niterói e São Gonçalo, JJ também está sendo investigado pela Drae por articular o envio de drogas e armas para a São Gonçalo e Niterói.

Ainda segundo as investigações, JJ teria sido um dos responsáveis pela tomada dos pontos de vendas de drogas do Novo México, que antes eram controlados por traficantes do CV. Após a expulsão do grupo rival, quem ficou à frente da venda de drogas na comunidade de São Gonçalo foi Jean Carlos Nascimento dos Santos, o Fofinho, 25, e um homem identificado apenas como PK ou Pará.

No último dia 2, o músico e promotor de eventos Jonas Souza da Silva, o Jonas do Cavaco ou Pagodeiro, foi preso sob acusação de ser um dos elos entre os criminosos do Rio e de São Gonçalo. Contra ele, havia um mandado de prisão decretada pela 17ª Vara Criminal da Capital. Morador do bairro Lindo Parque, ele se utilizava do trânsito livre que tinha nas favelas dominadas pela ADA para negociar o transporte de drogas para a região.

Supermaconha - As investigações da Polícia Civil apontam que ele chegou a negociar maconha hidropônica – também conhecida como supermaconha – que entre os traficantes passou a ser chamada de Hulk por causa da coloração mais verde. Cada quilo da droga era vendido por valores entre R$ 600 e R$ 700. O entorpecente era distribuído nos Morros do Palácio, Chumbada, na região central de São Gonçalo, e na Favela do Sabão, no Centro de Niterói.

Delegada investiga intercâmbio

Ainda segundo os agentes da especializada, Pagodeiro é primo de Marcélio de Souza Andrade, 29, morto em dezembro de 2005, quando traficantes tentaram resgatá-lo no caminho para Fórum da Ilha do Governador. Natural da Favela da Linha da Leopoldina, no Barreto, Marcélio era chefe do tráfico de drogas no Sabão e braço-direito de Edmilson Ferreira dos Santos, o Sassá, 34, um dos maiores atacadistas de drogas do Estado.

A função de articular o envio de drogas da Favela da Rocinha para as comunidades de Niterói ficou por conta de Alex Moreira Pereira, o Drill, 26, suspeito de participação na morte do rapper Cláudio Márcio de Souza, mais conhecido como Speedfreaks, 39, cujo corpo foi encontrado dentro de um valão na Favela do Sabão, no dia 26 de março desse ano.

“Nós recebemos informações sobre essa conexão e implementamos uma investigação nesse sentido. A partir do momento em que passamos a identificar e a monitorar essas lideranças, conseguimos prender dois deles e minimizar o transporte de drogas para Niterói e São Gonçalo. As investigações continuam com o objetivo de prender toda a quadrilha”, disse a delegada Márcia Beck, titular da especializada.

Traficante de São Gonçalo iria receber carga de maconha

Um dia após O SÃO GONÇALO publicar, com exclusividade, uma reportagem sobre o intercâmbio entre traficantes de São Gonçalo e os do Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio – considerado o quartel-general da facção criminosa Comando Vermelho (CV) no Estado – policiais do Serviço Reservado (P-2) do 16º BPM (Olaria) apreenderam, na madrugada de domingo (8), meia tonelada de maconha que seria entregue a Maico dos Santos de Souza, o Gaguinho, Jogador ou 2G, 29 anos, apontado como o chefe das bocas-de-fumo no Complexo da Coruja, no Vila Lage, em São Gonçalo.

A droga, avaliada em aproximadamente R$ 1,2 milhões, era transportada no caminhão placa AOR-6027, de Marechal Cândido Rondon, no Paraná, e estava escondida sob uma carga de polvilho. O veículo foi interceptado pelos PMs, no início da madrugada de ontem, na Rua Antônio Austregésilo, um dos acessos ao Morro da Fazendinha, em Inhaúma, onde Gaguinho está abrigado desde que se tornou foco das operações policiais em São Gonçalo.
“Recebemos a informação de que um carregamento de maconha que havia sido comprado no Paraguai chegaria às mãos do traficante para ser distribuído nas bocas-de-fumo do Complexo do Alemão e enviado para algumas favelas de São Gonçalo”, disse um dos policiais responsáveis pela operação.

No momento da abordagem, ocupantes de um Palio branco, que faziam a escolta da droga, efetuaram vários disparos na direção das viaturas. Em seguida, fugiram em direção ao Morro da Fazendinha. O condutor do caminhão desceu do veículo e também fugiu. Horas mais tarde, o caminhoneiro, identificado como Ângelo Rafael Kruger, 29, se apresentou na 22ª DP (Penha), onde o caso foi registrado. Em depoimento, ele contou que após passar pelo último pedágio da Rodovia Presidente Dutra, na altura de Seropédica, na Baixada Fluminense, resolveu parar em um posto de combustível para beber água.

Ainda de acordo com o motorista, ele foi abordado por dois homens armados, quando retornava para o caminhão. Depois de ser levado no próprio veículo, ele foi transferido para a mala de um automóvel e ficou circulando até ser deixado na Avenida Brasil, na altura da Penha. A polícia investiga a versão apresentada pelo caminhoneiro.

Asilo - Segundo policiais do 16º BPM, Gaguinho procurou asilo no Alemão após determinação da cúpula do CV. A ordem tem como objetivo tirar o foco das principais lideranças do tráfico no eixo Niterói-SG e facilitar o acesso desses criminosos à armas e drogas, que são enviadas para a região.
Além de Gaguinho, que, segundo os PMs, assumiu na última semana o controle do tráfico de drogas no Morro da Fazendinha, também estão abrigados no Complexo do Alemão os traficantes gonçalenses Wallace Batista Soalheiro, o Pixote, 24, e Mário Sérgio Rocha Martins, o Gugui, 31.





<< Primeira < Anterior   [ 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10  ] Próxima > Última >>

Expediente | Anuncie Aqui | Trabalhe Conosco | Twitter | Comunidade no Orkut | RSS | Fale Conosco
©Copyright O SÃO GONÇALO - Todos os direitos Reservados

Ilhota Leste Comunicação